O visual merchandising é um conjunto de estratégias do varejo para aumentar vendas, melhorar a margem de lucro e maximizar o retorno por espaço da loja. Ele é usado para atrair mais consumidores e fechar mais vendas por meio da qualidade estética do display ou ponto de venda. Quando é bem-feito, também auxilia no reconhecimento e lealdade à marca.

Neste post, você vai entender melhor para que serve o visual merchandising, como ele funciona, como ele contribui para a identidade da marca, e suas vantagens práticas. Confira!

Para que serve o visual merchandising?

Para que um negócio possa vender, seus produtos devem estar visíveis e dispostos de forma atraente para os consumidores. O merchandising inclui a embalagem, a vitrine, o posicionamento físico do produto dentro da loja e as técnicas de publicidade usadas para promover a mercadoria (merchandise, em inglês).

O visual merchandising é, portanto, uma parte do merchandising. Seus componentes incluem a aparência da loja, sinalização, uniformes dos funcionários, cardápios e panfletos, cores, formas, texturas e tudo mais que possa ser percebido com os olhos. Quando esses elementos se combinam em uma estratégia comum para destacar uma marca, isso contribui para o consumidor entender a relação entre a experiência positiva de compra e aquele produto.

As técnicas de visual merchandising mudaram muito nas últimas décadas. Antes, lojas de departamento e grandes varejos buscavam basicamente oferecer novidade, qualidade e preço baixo. Hoje em dia, a maior parte das campanhas de marketing vende aspirações e estilos de vida, e, portanto, o design da loja deve também refletir essa mudança, oferecendo uma experiência de compra que venda os valores da marca.

Por exemplo, algumas marcas de roupa são relacionadas a aventuras e viagens; outras são associadas a festas e sofisticação; e outras ainda “vendem” um estilo de vida casual e despojado. Cada uma delas pede técnicas diferentes de visual merchandising para atrair os clientes certos, ainda que, em essência, todas vendam o mesmo tipo de produto (roupas).

Embora uma presença digital forte seja essencial hoje em dia, os varejistas ainda precisam investir e muito nas lojas físicas, que contribuem para a identidade da marca de uma forma que nenhum site pode fazer.

Como o visual merchandising funciona?

O visual merchandising funciona ao engajar e inspirar os clientes, encorajando-os a comprarem os produtos que sua estratégia determinou.

Os clientes gastam apenas poucos segundos olhando uma vitrine ou cada display dentro da loja. Ambientes desorganizados, com amontoados de produtos, ou sem uma lógica estética que os organize, afastam a freguesia e não contribuem para a identidade da marca.

Muitas vezes, menos é mais em termos de visual. Vitrines com poucos produtos e ofertas claras e destacadas são mais atraentes e mais fáceis de entender. E a renovação constante de vitrines e displays pode contribuir para atrair olhares em busca de novidades.

Entre as ferramentas do visual merchandising, estão:

displays no ponto de venda — forma de facilitar a visualização e o acesso das mercadorias, como na esteira do check-out ou entre os corredores de um supermercado;

layout da loja — forma como o ambiente físico está organizado. Pode incluir um espaço para o cliente se sentar e área para experimentar os produtos. Uma loja menor pode escolher prateleiras mais baixas, para o cliente ver todo o ambiente de uma vez e ter a impressão de mais variedade; uma loja grande pode preferir não parecer lotada demais;

iluminação — o projeto luminotécnico da loja faz toda a diferença na forma como os produtos serão identificados e recebidos. Uma loja de grife pede luz mais suave do que um açougue, por exemplo;

manequins — uma ótima ferramenta para ajudar o cliente a imaginar como ficaria após comprar na loja, e também de entender o conjunto oferecido;

pacotes — a disposição de produtos que funcionam bem em conjunto. Muitos supermercados, hoje, têm uma área dedicada ao churrasco, somando itens que, de outra maneira, ficariam em corredores bem diferentes.

Como ele contribui para a identidade da marca?

O visual merchandising é a “hora da verdade”. É quando o cliente chega à loja e confere se a marca vai cumprir a promessa disposta nas campanhas de publicidade. É como uma apresentação tridimensional e tangível da loja.

O sucesso no varejo vem da comunicação eficiente, e o visual merchandising vai apresentar, de forma precisa e consistente, as mensagens que a marca quer passar. Por isso, também é importante que, em todas as lojas, a marca deixe a mesma impressão.

O visual merchandising revela muitos aspectos importantes da loja e deve proporcionar uma experiência diferenciada ao cliente, contribuindo para uma imagem positiva. Por exemplo, se uma grife vende sofisticação, a disposição das roupas deve ser organizada, e os conjuntos dos manequins, de bom gosto. Os móveis e tapetes da loja também precisam ser elegantes e construir uma atmosfera que combine com os valores daquela marca.

Já produtos de tecnologia, como laptops e televisões, pedem mais espaço, para que o consumidor possa experimentar e testar antes de comprar.

No entanto, não é o tipo de produto que determina sozinho as melhores técnicas e, sim, a marca. Uma marca de cosméticos jovem e ousada pede displays bem coloridos, com sinalização forte e modelos fotográficas que transmitam a sensação de juventude. Uma marca mais conservadora usará tons pastel, tipografia tradicional e imagens mais suaves.

Quais as vantagens do visual merchandising?

O ambiente da loja é uma experiência sem rival quando comparada a comprar algo online ou por telefone. É quando o cliente mergulha no mundo da marca e tem acesso tangível aos seus melhores produtos. Os consumidores podem experimentá-la também por meio de todos os componentes visuais ao redor das mercadorias, que não apenas atraem o público-alvo, mas ajudam a abrir o consumidor para a experiência da marca.

Se for positiva, ela fortalece a lealdade à loja, e as chances de que ele volte para mais compras no futuro aumentam.

O visual merchandising é a melhor forma de o varejo atrair o público certo de acordo com sua estratégia de marca, e fortalecer a experiência para reforçar a identidade e aumentar a lealdade dos clientes.

Fonte: Pricefy