Houve corrida de clientes aos super e hipermercados

Para garantir abastecimento, consumidores correram aos super e hipermercados nos dias em que intensificaram-se os efeitos da paralisação dos caminhoneiros. É o que mostra o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA). O levantamento mostra que entre os dias 23 e 24 de maio, a receita de vendas no setor cresceu 23%.

Na sexta-feira, 25/5, quando todo o País já tinha a noção exata dos efeitos gerados pela greve, as vendas cresceram ainda mais: 52%. Foi o segundo dia de maior movimento do mês nos super e hipermercados, perdendo apenas para 12/5, véspera do Dia das Mães.

O gasto médio por transação também cresceu no período analisado. Segundo a Cielo, esses resultados do ICVA evidenciam a preocupação da população em garantir itens de necessidade básica.

Nos postos de gasolina, a receita de vendas, que chegou a dobrar nos dois primeiros dias analisados, registrou queda de 28% na última sexta-feira, como reflexo da escassez de combustível.

Já a procura por produtos não essenciais num momento de crise caiu desde os primeiros dias da greve. Um exemplo é o setor de móveis, eletrodomésticos e lojas de departamento, cuja receita caiu 19% já na quinta-feira (24/5) em comparação com o mesmo dia da semana anterior.

Fonte: Supermercado Moderno