O varejo paulistano registrou alta média de 4,1% no movimento de vendas na primeira quinzena de maio sobre igual período do ano passado. O desempenho foi puxado pelo Dia das Mães, mas foi desigual entre os sistemas à vista (-4%) e a prazo (12,2%).

“Os números indicam que, diferentemente do ano passado, neste Dia das Mães as compras não ficaram restritas aos presentinhos, adquiridos à vista, e houve espaço para bens duráveis, geralmente parcelados”, comenta Alencar Burti, presidente da Associação Comercial de São Paulo, responsável pelo dado.

Ele ressalta que o resultado da quinzena não pode ser projetado para o mês todo, uma vez que eventuais mudanças na temperatura podem estimular a venda de roupas.

Consumidor

Enquanto o varejo comemora os avanços, ainda que tímidos, nas vendas, o consumidor segue cauteloso. Segundo a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), a confiança do consumidor passou de 42,2 pontos em março para 42 em abril, em uma escala que vai de 0 a 100.

No mesmo período do ano passado, o índice estava em 40,5 pontos. “A expectativa é de que a confiança acompanhe a melhora do mercado de trabalho, que deve se consolidar apenas após o período eleitoral”, afirma o presidente da CNDL, José Cesar da Costa.

Fonte: ABRAS