Dos entrevistados, 17% fizeram compras não programadas em supermercados e pagaram no cartão

Brasileiro gosta de consumir, mesmo em tempos de orçamento apertado. O ‘jeitinho’ é usar o crédito, mas isso não sido feito apenar para a aquisição de itens essenciais. Levantamento do SPC Brasil e da CNDL (Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas) mostra que seis em cada dez brasileiros utilizaram o crédito no mês de fevereiro para realizar compras por impulso que poderiam comprometer o orçamento.

Roupas, calçados e acessórios foram os produtos mais comuns, tendo sido adquiridos em compras não programadas de 19% do entrevistados. Mas logo em seguida aparecem as compras por impulso em supermercados, realizadas por 17% dos respondentes, índice superior àqueles que, por impulso, levaram perfumes ou foram a bares e restaurantes.

“O consumidor está andando no limite. O crédito fácil leva à compra impulsiva”, afirma Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil. Segundo ele, a decisão de utilizar cartão de crédito para pagar compras em supermercado traz riscos ao consumidor. “É um gasto recorrente. Quando você usa o crédito fácil para essas compras do dia a dia, se tiver um imprevisto, pode se enrolar”, analisa. Feita pela internet, a pesquisa ouviu 910 pessoas entre os dias 8 e 22 de março.

Fonte: Folha de S. Paulo