Barreiras entre as lojas físicas e lojas online? Isso muda a cada segundo desaparecendo com ofertas e meios de pagamentos mais atraentes na plataforma mobile! As Empresas estão fundindo estas experiências de compra física e online para conquistar cada vez mais o seu cliente.

Os consumidores mobile continuam dominando o mercado varejista, uma vez em que os aparelhos celulares tornam mais fluído e conveniente nos meios de comunicação, conexão, compartilhamentos e interação entre a empresa e os clientes.

Todos os dias os consumidores estão mais conectados uns aos outros, gerando valor neste modelo de varejo novo e atrativo. Os varejistas que não tem uma estratégia mobile precisam repensar e direcionar o seus investimentos nesse canal para se manter relevante e atender este amplo grupo de consumidores que em poucos cliques adquire produtos e serviços com alta qualidade e preços competitivos.

ATACAREJOS E LOJAS SUPERMERCADISTAS CONTINUAM EM ALTA

Os atacarejos aliados à clube de compras, oferecem preços mais baixos com conforto na hora da compra, seguem ganhando espaço nesta modalidade. Ao mesmo tempo, as lojas de supermercados, também continuam em expansão.

VAREJISTAS VÃO SE ESFORÇAR AINDA MAIS PARA VENDER UM “PROPÓSITO”

Uma das tendências para 2018, é a busca das marcas próprias por um propósito. Em uma sociedade em que há tanto de tudo, em que há superoferta, os consumidores precisam de uma razão maior para comprar os produtos ou criar ligações com as marcas. A proposta de investimento em marca própria traz sem dúvida mais rentabilidade ao varejista, e comodismo ao consumidor que confia na marca, seja por qualidade ou preço mais atraente.

CLIENTES, O FOCO PRINCIPAL DA ESTRATÉGIA

Os consumidores são tratados como pessoas e não como números, cada vez mais o varejista entende e seleciona melhor os seus colaboradores, escolhe aqueles que possuem paixão pelo ofício e camisa que veste, aonde o atendimento fica mais personalizado e customizado. Isto, porque a cada dia esta customização em massa vai aumentando.

Este entendimento e monitorização do comportamento dos consumidores é uma prática que ganha muita força. Existe uma busca excessiva em sair do processo de comodismo e uso da informação para fazer produtos e ofertas de forma mais individualizada crescer!

LOJAS FÍSICAS DEIXAM DE SER APENAS PONTO DE VENDA

Hoje em dia não basta mais para os varejistas ter prateleiras cheias. As lojas deixaram de ser apenas um ponto de venda para ser ponto de serviço, de educação e experiência. Concorrendo com este mercado digital, com formatos focados em preço e associado a clube de vendas, transforma-se em espaço onde o consumidor tem prazer em ir.

PONTOS DE VENDA ENCOLHEM?

Pensando na operacionalização de uma loja, operar com custos menores sem tirar a conveniência do consumidor é um desafio, mas, se a empresa já possui uma experiência digital dentro do ponto de venda, investindo em automação como por exemplo: (self-checkout), reduz o custo operacional e traz ao consumidor uma experiência de consumo atualizada e dinâmica.

Fonte: Blog Bluesoft ERP