Ronaldo Iabrudi, presidente da companhia, não divulgou detalhes sobre o início ou duração do piloto com a nova jornada

O GPA (Grupo Pão de Açúcar) pode testar em algumas de suas lojas a jornada de trabalho de 12 por 36 horas, que passou a ser aceita com a reforma trabalhista.

Aos jornalistas, o presidente da companhia, Ronaldo Iabrudi, afirmou no entanto que a empresa “olha com muita cautela e muita responsabilidade” os novos modelos de contrato permitidos pela reforma. Questionado, ele não detalhes sobre o início ou duração do piloto com a nova jornada.

Fonte: O Estado de S. Paulo