O Movimento do Comércio no acumulado nos últimos 12 meses (desde dezembro de 2015 até novembro de 2016, contra os 12 meses antecedentes) caiu 5,4%, de acordo com as informações do varejo apuradas pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito).

Na avaliação de novembro, na comparação com outubro, os dados com ajuste sazonal, apresentam uma retração de 0,1%. De acordo com o estudo, divulgado ontem, quando analisado o resultado mensal contra o mesmo mês do ano anterior, houve diminuição de 5,4%, enquanto no acumulado do ano a diminuição já atinge 4,4%, mantida a base de comparação.

Pressão no cliente
Segundo a entidade, as dificuldades vivenciadas no cenário econômico, tais como juros elevados, inflação alta, mercado de trabalho em deterioração e a consequente queda do consumo das famílias, continuam impedindo uma melhoria do desempenho da atividade varejista.

“Caso o cenário mais benigno apontado pelas projeções de mercado se consolide, uma concreta inflexão da tendência (valores acumulados em 12 meses) deverá se consolidar, atingindo patamar positivo em meados do segundo semestre de 2017”, apontou a Boa Vista SCPC, em comunicado oficial ao mercado.

Setores
Na análise mensal, dentre os principais setores, o setor de “Móveis e Eletrodomésticos” apresentou alta de 3,1% entre outubro e novembro, descontados os efeitos sazonais. Nos dados sem ajuste sazonal, a variação acumulada em 12 meses foi uma retração na casa dos 5,8%.

Já a categoria de “Tecidos, Vestuários e Calçados”, um dos que mais tem sentido o efeito da crise, caiu 1,0% no mês, expurgados os efeitos sazonais. Na comparação da série sazonal, nos dados acumulados em 12 meses houve recuo de 7,5%.

A atividade do setor de “Supermercados, Alimentos e Bebidas” caiu 0,2% no mês na série dessazonalizada. Na série sem ajuste, a variação acumulada em 12 meses recuou 6,0%.

Por fim, o segmento de “Combustíveis e Lubrificantes” apresentou queda de 0,2% em novembro considerando dados dessazonalizados, enquanto na série sem ajuste, a variação acumulada em 12 meses apresentou queda de 5,1%.

Fonte: ABRAS